“Em Rio Verde temos uma gestão comprometida com a população”, diz Lissauer durante lançamento do Programa Mais Moradia

Anunciado pelo prefeito Paulo do Vale, o projeto, inédito na cidade, deve entregar, na primeira etapa do programa, aproximadamente mil casas para famílias em situação de vulnerabilidade social. Os lotes e todo o custeio para a construção das unidades habitacionais serão subsidiados pela prefeitura municipal

Respaldando as ações voltadas para a qualidade de vida dos goianos, especialmente, dos rio-verdenses, o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSB), cumpriu agenda nesta segunda-feira, 24, em Rio Verde, onde participou do lançamento do Programa Mais Moradia. Idealizada pela prefeitura municipal, a iniciativa é destinada para famílias em situação de vulnerabilidade social e deve entregar mil unidades habitacionais somente nesta primeira etapa. Na oportunidade, o prefeito Paulo do Vale também anunciou a implantação do “Casa Verde Amarela”, projeto sancionado pelo governo federal e que será iniciado no município. No total, os dois programas devem viabilizar o repasse de 4 mil casas para a população de baixa renda.

Destacando a importância do programa para a comunidade local, sobretudo, para a população mais carente, o chefe do Poder Legislativo ressaltou que o “Mais Moradia” é um compromisso de campanha da atual gestão e vai diretamente ao encontro das necessidades de quem mais precisa. “Esse é um desejo administrativo que o Paulo sempre teve de lançar programas habitacionais e o momento chegou. Hoje, Rio Verde vai ser contemplado com esse financiamento, um compromisso de campanha do prefeito Paulo do Vale, que era de construir 4 mil moradias. Aqui em Rio Verde quando as coisas são faladas elas acontecem, porque temos uma gestão pública municipal comprometida com a população”, afirmou Lissauer.

Por sua vez, o prefeito Paulo do Vale salientou que a construção das casas será integralmente custeada com recursos do Executivo municipal. De acordo com ele, uma iniciativa inédita na área habitacional da cidade. “Hoje nós estamos fazendo o lançamento do primeiro programa municipal de moradias. Rio Verde nunca teve esse programa. O diferencial é que o município vai construir as residências. Os funcionários, os materiais, tudo será custeado com recursos do município. Nós estamos programando para entregar entre 500 e 1.000 moradias nesses próximos três anos e meio. Temos também o programa nacional Casa Verde e Amarela, que nós já vamos fazer o primeiro chamamento no mês de junho, para a construção de 916 unidades habitacionais”, informou.

O vice-prefeito Dannillo Pereira também enalteceu a iniciativa e disse, durante o seu discurso, a importante função social do projeto que, para ele, dará mais dignidade, qualidade de vida e conforto para as famílias em situação de vulnerabilidade. “Queria ressaltar o ato humano que é a pessoa ter a sua moradia, o seu lar. Então, nós precisamos ter critérios, mas nós vamos conseguir fazer, nós vamos dar um lar para quem realmente precisa”, pontuou.

Também participaram da solenidade de lançamento o deputado estadual Chico KGL, o presidente da Câmara Municipal, vereador Lucivaldo Medeiros, além de secretários, servidores da prefeitura de Rio Verde e demais autoridades.

Programa Mais Moradia

De iniciativa da prefeitura de Rio Verde, o Programa Habitacional Mais Moradia prevê a entrega de casas para famílias e pessoas em situação de vulnerabilidade social do município. A previsão é de que pelo menos mil unidades sejam entregues somente nesta primeira etapa do projeto. Além de toda infraestrutura completa de água, esgoto e energia, os imóveis também contarão com área para estacionamento, playground e área de lazer. Os lotes e todo o custeio para a construção das unidades, incluindo funcionários e materiais, serão subsidiados pelo Executivo municipal.

De acordo com o secretário de habitação, Eduardo Stefani, o cadastro no programa será realizado através de um aplicativo, que já está sendo desenvolvido e, em breve, estará disponível para a população. O sistema avaliará a renda e os documentos dos inscritos selecionando, assim, apenas as famílias que realmente precisam de uma moradia. “Esse aplicativo terá uma seleção que vai nos passar quem mora em área de risco, quem é mãe solteira, e automaticamente vai fazer uma seleção que vai poder falar qual pode ou não pode receber”, explicou.